VOLTAR PARA O HOTSITE
Campanha de Incentivo Mobility Turismo S.A.
De 09/04/2018 a 22/07/2018
21/05/2019
Cidades Inteligentes
Segundo a união Européia, Smart Cities são sistemas de pessoas interagindo e usando energia, materiais, serviços e financiamento para catalisar o desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida.  Esses fluxos de interação são considerados inteligentes por fazer uso estratégico de infraestrutura, serviços, informação, comunicação com planejamento e gestão urbana para dar resposta às necessidades sociais e econômicas da sociedade. De acordo com o Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, 10 dimensões indicam o nível de inteligência de uma cidade: governança, administração pública, planejamento urbano, tecnologia, o meio-ambiente, conexões internacionais, coesão social, capital humano e a economia.

Segundo levantamento da Smart Cities, as cidades mais inteligentes do mundo são: 

Nova York – por sua plataforma interativa que converteu os antigos sistemas telefônicos públicos, para fornecer acesso à internet para todos. Além disso, fornece informações sobre eventos locais, notícias da vizinhança e listas de entretenimento, a plataforma ainda fornece alertas de segurança aos seus usuários.

Amsterdã – com aproximadamente 900 mil habitantes, a cidade é pioneira na Europa quando o assunto é tecnologia e também sustentabilidade. Para isso conta com uma plataforma que oferece suporte e incentivo para que as instituições, as empresas e os cidadãos desenvolvam projetos verdes, que podem beneficiar a qualidade de vida urbana de todos que ali habitam.

Tóquio – tem a participação ativa do setor privado. Empresas como Panasonic, Mitsubishi e Sharp, assumiram a responsabilidade de desenvolver e difundir a tecnologia inteligente para revolucionar a megalópole. A Panasonic construiu um bairro ecológico onde se localizava sua antiga fábrica. Todas as casas se baseiam no uso de energia renovável e aparelhos de máxima eficiência, com sistemas de automação que ajudam até a determinar o melhor momento para se lavar roupa com base na previsão do tempo.

São Francisco – a cidade estabeleceu metas para diminuir sua emissão de carbono, aumentando o uso de energias renováveis em novas construções. Atualmente, 41% da rede elétrica da cidade é alimentada com energia renovável. Para atingir o objetivo de desperdício zero, até o ano 2020, expandiu amplamente seus programas de reciclagem e 80% dos resíduos produzidos pela população é reciclada ou reaproveitada de alguma forma.

Viena – conta com o melhor sistema de transporte público do mundo. Mais de 90% dos residentes da cidade têm fácil acesso, com um sistema de cartão inteligente que calcula automaticamente taxas para qualquer meio de transporte que usuário usufruir. Com 14% do uso de energia renovável, Viena é uma das cidades mais verdes do mundo, com fortes políticas de proteção ambiental e mobilidade individual.

Curitiba – é uma das cidades mais verdes do país, com quase 30 parques e áreas florestais. 70% dos resíduos produzidos pelos habitantes são reciclados, e a prefeitura da cidade criou programas de incentivo como o Câmbio Verde, onde a população pode trocar seu lixo reciclável por frutas e também verduras frescas. Com um sistema de transporte urbano rápido e efetivo – usado regularmente por cerca de 70% da população – os ônibus antigos são transformados em escolas móveis para educar a população a respeito da sustentabilidade.

Um pouco mais sobre o Brasil:

Estima-se que, atualmente, 53% da população mundial vivem em áreas urbanas, que recebem mais de um milhão de novos habitantes por semana. Até 2050, serão 70%. No Brasil, de acordo com o censo demográfico de 2012, 80% dos brasileiros vivem nas cidades.

De acordo com o World Foundation for Smart Communities, “a comunidade inteligente é aquela que fez um esforço consciente para usar a tecnologia da informação para transformar dentro de seu território de forma significativa e fundamental, em vez de seguir uma forma incremental”.  Mas, quando pensamos em mobilidade urbana temos que ir muito além do planejamento. Investimentos e soluções em transporte público, mobilidade humana, acessibilidade, adequação do fluxo de veículos e diminuição dos poluentes são apenas alguns dos pontos dentro de uma cidade inteligente e sustentável. 

E aqueles que imaginam este cenário apenas no futuro terão que rever seus conceitos. É que de acordo com o Ranking Connected Smart Cities – considerado o principal estudo sobre cidades inteligentes do Brasil e executado pela Urban Systems, em parceria com a Sator – aponta os municípios com maior potencial de desenvolvimento no Brasil – sendo dividido em quatro resultados: Geral, por Eixo Temático, Região e por Faixa Populacional. Mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança são alguns dos indicadores setoriais.

No último levantamento realizado, em 2018, o Ranking Connected Smart Cities contou com a participação de cerca de 700 municípios, analisadas a partir de 70 indicadores. Confira as principais cidades vencedoras:

1º Curitiba (PR)
2º São Paulo (SP)
3º Vitória (ES)
4º Campinas (SP)
5º Florianópolis (SC)
6º Rio de Janeiro (RJ)
7º Belo Horizonte (BH)
8º Porto Alegre (RS)
9º Santos (SP)
10º Niterói (RJ)
regulamento